APITO FINAL

 

 

 

 

Vanguarda do atraso

A rejeição no congresso técnico da CBF do uso do árbitro de vídeo no Brasileirão deste ano foi um duro golpe na modernização do futebol nacional. Mais uma vez, a cartolagem amadora e retrógrada prevaleceu nas decisões que norteiam o futuro do esporte no país. O mundo adotou o VAR. Mas nós vamos continuar por aqui com as nossas jabuticabas. Vamos continuar com aqueles inúteis auxiliares de linha de fundo fingindo que auxiliam alguma coisa. O VAR custa caro? Custa. Mas nada demais para uma entidade que fatura milhões tirando parcelas polpudas da arrecadação dos clubes a cada jogo.

Por que não cobrar, bater o pé, para que a CBF arque com o custo? Vale aqui registrar a miopia dos dirigentes dos 12 clubes que se posicionaram contrários à tecnologia: Corinthians, Santos, América-MG, Cruzeiro, Atlético-MG, Atlético-PR, Paraná, Vasco, Fluminense, Sport, Vitória e Ceará. Que não venham depois reclamar de erros de arbitragem.  Que não venham culpar juízes quando se sentirem prejudicados. Que se lembrem, sim, do voto que deram.

Prioridades

Apenas a Copa do Brasil receberá suporte do VAR, e bancado pela CBF, em 2018. Dos 20 clubes da Série A do Brasileirão, apenas sete foram favoráveis ao uso também no Brasileirão: Bahia, Botafogo, Chapecoense, Flamengo, Grêmio, Internacional e Palmeiras. O São Paulo se absteve. Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente do Tricolor, alegou um “imprevisto” e deixou a reunião antes da votação, o que mostra que o futuro do futebol nacional não é prioritário para quem deveria lutar por melhorias.

Em compensação, não houve veto à bizarra prática da venda de mando de campo, que este ano colocou uma partida do Flamengo pelo Estadual do Rio em Brasília e fez o São Paulo estrear na Copa do Brasil em Londrina contra uma equipe carioca. No mesmo congresso, os participantes também aprovaram o uso de grama sintética, caso único da Arena da Baixada na Série A.

Nem começou e…

Por falar em Brasileirão, a CBF divulgou a prévia da tabela da edição deste ano, com os confrontos de cada jornada, mas sem datas e horários definidos. Sabe-se que o torneio começará em 15 de abril, sendo finalizado em 12 de dezembro, e com os primeiros clássicos escalados na quinta rodada, entre 12 e 14 de maio – Botafogo x Fluminense, Corinthians x Palmeiras e Internacional x Grêmio. Mas, como não poderia deixar de ser, a tabela da CBF tem problemas. A 12ª rodada prevê partidas em 14 de junho, mesma data do jogo de abertura da Copa do Mundo na Rússia.

Em tese, a proposta afronta uma determinação da Fifa, que pede a paralisação de torneios de elite durante o evento, e o próprio calendário de competições divulgado pela entidade para 2018. Ainda que realize as dez partidas da rodada um dia antes, haverá conflito de sedes entre equipes da mesma cidade. Alguém seria obrigado a não jogar em seu estádio graças a essa falta de bom senso e planejamento para um calendário já sufocado de compromissos. A CBF, é claro, ainda não propôs uma solução para o impasse.

Sucesso de público

Donos das melhores campanhas nos estaduais que disputam Cruzeiro e Palmeiras lideram as estatísticas de público neste início de 2018. A Raposa tem a melhor média de espectadores do Mineiro, com 33.538 pagantes por jogo. Já o Verdão tem disparado a maior arrecadação (R$ 6,2 milhões em renda bruta) do Paulistão, quase o triplo do Corinthians (R$ 2,6 milhões), que ainda não mandou partidas em sua arena no ano. A equipe treinada por Roger Machado, aliás, é a única da Série A nacional com 100% de aproveitamento no Estadual – cinco vitórias em cinco rodadas. Vitória (88,8%), Cruzeiro (86,6%), Flamengo (86,6) e Corinthians (80%) completam o top 5 de eficiência entre os times da elite nesta temporada.

Corinthians. O clube iniciou ontem a venda de ingressos para os jogos em casa restantes da primeira fase do Paulistão. As partidas contra São Bento (14/2), Palmeiras (24/2) – primeiro Dérbi de 2018 – e Mirassol (7/3) serão as primeiras da temporada na Arena Corinthians, que passou por renovação do gramado e fez o Timão mandar duelos no Pacaembu.

Fluminense. Wellington Silva foi um dos vários titulares que deixaram o Flu ao fim de 2017. O atacante foi emprestado ao Internacional, e o Tricolor espera receber uma contrapartida pelo negócio: ou o Colorado cederá um jogador ou desembolsará cerca de R$ 1 milhão. O clube ainda procura um centroavante no mercado para preencher a lacuna deixada por Henrique Dourado.

Santos. Com o aval da Federação Paulista de Futebol, o Peixe mandará o clássico contra o Corinthians, em 4 de março, para o Pacaembu. Em princípio, o clube enfrentaria o rival na Vila Belmiro. Porém, o presidente José Carlos Peres solicitou a troca de estádio na FPF e conseguiu a liberação. Disputar mais partidas na capital paulista é uma promessa de campanha do recém-eleito dirigente, que tenta aumentar a arrecadação do clube com bilheteria.

Vasco. Em atividade tática realizada ontem, em São Januário, o técnico Zé Ricardo repetiu a escalação usada na goleada por 4 a 0 sobre o Concepción, sinal de que não fará mudanças na equipe para o jogo de volta da fase preliminar da Copa Libertadores, amanhã, no Rio. O Vasco pode perder por até três gols de diferença que seguirá na competição. A formação de linha teve Pikachu, Erazo, Ricardo e Henrique; Desabato, Wellington, Wagner, Evander e Paulinho; Andrés Rios.

Carioca. Pelo Twitter, a Federação de Futebol do Rio informou que ainda não houve definição sobre o local onde será realizado o clássico das semifinais da Taça Guanabara entre Flamengo e Botafogo. Os dois clubes haviam escolhido o Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, mas o Nilton Santos voltou a ser opção. Uma reunião na sede Ferj da nesta terça-feira (06), escolherá o estádio.

Atlético-MG. Poupado contra o URT pelo Campeonato Mineiro por estar com amigdalite, o lateral-esquerdo Fábio Santos treinou entre os titulares e viajou com a delegação para o Acre. O Galo enfrenta o Atlético-AC, pela primeira fase da Copa do Brasil. A competição é uma das prioridades dos atleticanos na temporada.

Campeonato Inglês. Em partida que completou a 26ª rodada da Premier League, o Watford surpreendeu o Chelsea, atual campeão, e venceu em casa por 4 a 1. Mas a cena que marcou o duelo envolveu o brasileiro Richarlison. A transmissão de TV mostrou o ex-atacante do Fluminense chorando no banco de reserva após ser substituído no segundo tempo. Ao canal ESPN Brasil, ele disse que ficou irritado por deixar o campo antes do fim.

Jogos de Inverno. Piloto da equipe de bobsled, Edson Bindilatti será o porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno, em PyeongChang, na Coréia do Sul, que começará na sexta-feira. Será a quarta participação dele no evento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

122 views