Consultora Céleres eleva previsão de safra de soja do Brasil; reduz previsão para milho

Produção de soja deve aumentar, mas a safra de milho deve recuar, aposta estudos

A safra de soja do Brasil 2017/18 foi estimada nesta terça-feira em 111,8 milhões de toneladas, alta de 1,9 por cento ante a projeção anterior, devido a chuvas favoráveis que indicam um bom potencial produtivo para a colheita que está se iniciando, segundo levantamento da consultoria Céleres. “Em função do cenário climático favorável nos últimos meses, a Céleres revisou positivamente a produção de soja para a safra 2017/18 em grande parte das regiões produtivas do país”, afirmou a consultoria em comunicado.

Contudo, a produção de soja no maior exportador global da oleaginosa deverá cair 1,7 por cento ante o recorde na temporada passada, disse a Céleres. Em 2016/17, o clima foi considerado excelente para o desenvolvimento das plantações. “Apesar da demora para o início do plantio da oleaginosa (em 2017/18), a melhora no regime de chuvas, particularmente a partir de novembro/17, contribuiu para o adiantamento dos trabalhos de campo e para um bom desenvolvimento da planta”, afirmou a Céleres. Ainda assim, a consultoria estima uma produtividade menor ante o ciclo passado.

Na média nacional, o rendimento para safra 2017/18 deverá ser de 3,22 toneladas/hectare, aumento de 2 por cento em relação à última estimativa, mas 4 por cento abaixo do nível observado na temporada anterior. A Céleres estima o plantio em 34,7 milhões de hectares. “A colheita da safra 2017/18 já iniciou em algumas áreas do MT (Mato Grosso), devendo tomar corpo nos próximas semanas”, disse a Céleres, confirmando reportagem da Reuters sobre a colheita, publicada na semana passada.

“Nesse sentido, apesar de ainda haver algum potencial para interferência climática e, consequente, especulação sobre o real tamanho da safra brasileira, já é possível constatar um consenso de que a safra brasileira terá bons níveis de produtividade.” Segundo a Céleres, o cenário de demanda é positivo, considerando a antecipação do aumento na mistura de biodiesel no diesel para 10 por cento neste ano e uma possível recuperação do consumo interno de carnes, que deve puxar a produção de farelo de soja.

Milho e Algodão

No milho, a Consultora Céleres reduziu a previsão de produção de verão em 1,6 por cento, para 27,7 milhões de toneladas, o que indica uma queda de 18 por cento ante a safra passada, diante de uma redução de plantio. “A revisão para baixo não indica um mau andamento da safra. Contudo, a percepção é de que não se alcançará os patamares recordes de produtividade observados na safra passada, nem os rendimentos projetados anteriormente”, comentou a consultoria. Segundo a Céleres, “com um cenário mais claro da produção de verão, parte das expectativas do mercado futuro nacional já se direciona para a safra de inverno”, projetada pela consultoria em 66,8 milhões de toneladas. Dessa forma, a safra total do país foi projetada em 94,5 milhões de toneladas.

A consultoria manteve a projeção para a safra de algodão 2017/18 do Brasil em 1,73 milhão de toneladas (pluma), aumento de 15 por cento ante a temporada passada. “Influenciada por preços bastante remuneradores, a área a ser plantada deverá subir 20 por cento na atual temporada, alcançando 1,12 milhão t”, disse a Consultora. Já a produtividade de pluma foi estimada preliminarmente em 1,55 tonelada/hectare, queda de 5 por cento em relação à safra passada. “Os trabalhos de plantio avançam sobre a Bahia e em algumas áreas do Mato Grosso, com clima favorável à cultura”, disse a Céleres.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

167 views