Corinthians consegue empate com o Cruzeiro, mas vê vantagem diminuir

A vantagem na liderança ainda é boa, mas o Corinthians viu a diferença para o vice-líder Santos cair para oito pontos ao final desta 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Neste domingo, o Timão arrancou o empate com o Cruzeiro, por 1 a 1, no Mineirão, com gol aos 39 do segundo tempo.  O Timão ainda teve um gol mal anulado antes da igualdade – Balbuena estava na mesma linha de Léo -, mas não fez por merecer uma vitória em Belo Horizonte. A equipe teve muitas dificuldades na criação e só levou perigo no primeiro tempo em chute de fora da área de Gabriel.

Já o Cruzeiro mostrou neste domingo que não abandonou o Brasileirão, apesar de ter faturado o título da Copa do Brasil na última quarta-feira. Quatro dias após a conquista, o técnico Mano Menezes escalou os titulares e quase saiu com a vitória. Com o empate, a Raposa permanece em quinto lugar, com 41 pontos. O Cruzeiro até conseguiu controlar o adversário e chegou ao gol após bonita jogada pela esquerda: Alisson recebeu de Thiago Neves e rolou para Diogo Barbosa cruzar na medida para Rafinha marcar de cabeça. Mas as mudanças do técnico Fábio Carille surtiram efeito no segundo tempo…

Após uma primeira etapa praticamente inofensivo, o Corinthians começou a assustar. A entrada Marquinhos Gabriel no lugar de Jadson, totalmente apagado, deu mais velocidade nas jogadas.O Timão passou a pressionar, e o Cruzeiro a fazer o jogo que gosta: se fechou na tentativa de matar a partida em contra-ataque. Já o Corinthians ficou mais ofensivo ainda, após a entrada de Clayson no lugar de Gabriel. E foi justamente Clayson que fez o gol de empate, depois de pênalti bem marcado – a bola bateu na mão de Murilo, após cabeçada de Kazim. O gol de empate dá bem mais tranquilidade ao Corinthians neste intervalo de dez dias sem jogos. Afinal, a vantagem ainda é boa na ponta da tabela. Para o Cruzeiro, os jogos do Brasileirão devem passar a ser apenas “amistosos”.

Santos vence o Palmeiras e diminui a vantagem do líder

Palmeiras e Santos, durante a semana, falavam em título, em recuperação, em motivação para a caminhada até o final do ano. Cuca já tinha estimulado os seus jogadores e o discurso parecia bem assimilado pelo grupo palmeirense. Levir Culpi parecia bastante abatido após a eliminação na Libertadores, mas poucos dias depois o time bateu o Atlético Paranaense e voltou a querer falar grosso em busca de algo a mais no Brasileiro.

Mas seria impossível os dois saírem com o mesmo discurso ao final do jogo. Para piorar o clima de tensão comum em um clássico, São Paulo, que não via chuva há um bom tempo, foi castigada e o gramado do Allianz Parque sofreu. Sem condições de fazer a bola rolar, Palmeiras e Santos fizeram um primeiro tempo de luta e pouca inspiração. Matheus Jesus, opção de Levir Culpi para o meio ao lado de Alison, fez um jogo bastante interessante.

O segundo tempo já foi disputado com o gramado em melhores condições e o Palmeiras foi ao ataque. O Santos pouco conseguia passar do meio campo e foram quinze minutos de muita pressão. Sem contra-atacar, o Santos via Cuca mexer no time e a bola não saía da área de Vanderlei. É bem verdade que Lucas Veríssimo e David Braz fizeram um jogo muito sólido e concentrado. Alison e Matheus Jesus também respondiam bem.

Uma escapada. Uma única. Aos 30, o Santos roubou a bola no campo de ataque e Copete achou Bruno Henrique na esquerda. De Bruno Henrique para Ricardo Oliveira e do camisa nove para o gol. A pressão aumentava, mas o perigo não chegava a assustar Vanderlei. Deu Santos. Levir Culpi, em entrevista coletiva, destacou a qualidade do elenco e a luta de seus jogadores.

Grêmio vence no fim e deixa Fluminense perto do Z4

Alívio de um lado, decepção do outro. No confronto entre tricolores, o Grêmio bateu o Fluminense por 1 a 0 em Porto Alegre, neste domingo, e voltou a sorrir no Campeonato Brasileiro. O gol de Beto da Silva, único a conseguir superar Diego Cavalieri, aos 41 minutos da etapa final, pôs fim a uma sequência de três derrotas seguidas do time de Renato Gaúcho, terceiro colocado com 46 pontos.

A derrota no fim aumenta o drama do Tricolor das Laranjeiras no Brasileirão. Agora são cinco rodadas sem vitórias. O Flu estacionou nos 31 pontos e está um ponto acima do Avaí, primeiro clube dentro da zona de rebaixamento. Por conta das Eliminatórias Sul-Americanas, os times têm uma pausa do torneio nacional. No dia 11 de outubro, o Grêmio recebe o Cruzeiro pela 27ª rodada. O Flu, por sua vez, enfrenta o Flamengo, no dia 12, no Maracanã.

São Paulo bate Sport e deixa zona do rebaixamento

O São Paulo jogou muito mal na tarde deste domingo no Morumbi contra o Sport. Tanto que tomou um sufoco assustador no fim, e teve um Sidão salvador, de nome gritado pela torcida após o jogo. Mas e daí? O que importa aos triclores é que venceu os pernambucanos por 1 a 0, resultado que tirou a equipe da zona do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. O gol, de Marcos Guilherme, não poderia simbolizar melhor a situação do time na competição.

Marcos, como revelou em sua apresentação, é torcedor do clube desde a infância. Anotado aos 35 minutos do primeiro tempo, seu gol, portanto, representa o apoio da arquibancada. Em um campeonato de tantos jogos ruins e poucas ideias, a participação da torcida do São Paulo precisa ser reconhecida. Dona dos quatro maiores públicos da competição, neste domingo registrou mais um bom: 43.071 presentes.

Botafogo sai atrás, vira, mas perde para o Vitória no final

O Botafogo perdeu uma ótima oportunidade de engatar a quinta vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro. Na tarde deste domingo, em pleno Nilton Santos, o Alvinegro viu o Vitória, o segundo melhor visitante da competição, aprontar novamente. 

Os baianos saíram na frente, viram o Alvinegro virar com Roger e ainda fizeram o 3 a 2 nos acréscimos. O saldo negativo do time de Jair Ventura não terminou por aí.  Valencia foi expulso na reta final e o Glorioso perdeu dois jogadores por problemas físicos: Carli e Victor Luis. Menos mal que o time segue no G6, com 40 pontos, a três do Palmeiras, último do G4.

Vasco sai na frente, mas cede o empate a Chapecoense

Após abrir o placar, o Vasco acabou cedendo o empate para a Chapecoense, pelo Brasileirão, neste sábado, na última partida da punição com portões fechados em São Januário. O técnico Zé Ricardo lamentou o resultado da sua equipe. Segundo o treinador, o Cruz-Maltino jogou melhor, criou oportunidades, mas acabou levando um gol em um lance isolado na partida. “Foi um lance meio isolado o gol da Chape. Lá do fundo de campo onde eu estava parecia que ele ia cruzar a bola e acabou encobrindo o Martin.

Eu lamento, porque a gente performou muito melhor do que na partida contra o Sport lá em Recife. Criamos diversas oportunidades e tivemos chances até de vencer com certas tranquilidade. Após sofrer o gol aumenta uma pressão por estar jogando em casa contra um adversário muito próximo na tabela. A gente ainda criou uma ou duas oportunidades, mas infelizmente o futebol é assim. Fica a lamentação pelo empate porque hoje a gente jogou o suficiente para ganhar a partida” analisou o técnico em coletiva após a partida.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

226 views