De virada, Grêmio vence a Ponte Preta e se mantém na vice-liderança

Jogadores do Grêmio comemoram virada em cima da Macaca

Sob um frio de 13 graus e chuva, o Grêmio conduziu a partida, na Arena, com maestria e bateu a Ponte Preta por 3 a 1. Autor de dois dos três gols da vitória tricolor, Lucas Barrios assume a artilharia da equipe. Everton marcou o terceiro. Do lado da Macaca, Rafael Thyere, contra, diminuiu a diferença. O resultado deixa o Grêmio na vice-liderança do Brasileirão, com 28 pontos. Enquanto a Ponte, em 16º começa a ser assombrada pela zona de rebaixamento.

O jogo começou a esquentar com cinco minutos de bola rolando. A primeira finalização foi um tanto atrapalhada. Jádson arriscou o chute de longe e isolou a bola, rendendo um tiro de meta para o Grêmio. Emerson Sheik abriu a distribuição de cartões do jogo após carrinho em Arthur. Ao bater a falta, Luan levantou na área, mas a bola foi afastada por Rodrigo. No contra-ataque, o mesmo Sheik foi parado por uma falta de Arthur.

O primeiro susto foi aos 20 minutos. Sozinho no contra-ataque, Lucca passou pela defesa tricolor e soltou uma bomba em direção ao gol, mas Grohe só torceu e olhou a bola saindo pela linha de fundo. Vendo o perigo, o Grêmio quase abriu o placar aos 23. Após erro de Rodrigo, Barrios encontrou Ramiro pela direita, para o volante dominar e mandar para o gol, mas Aranha estava atento e espalmou a bola.

Aos 32 minutos, o Grêmio teve duas belas chances, mas desperdiçou. Na primeira, Michel chegou na área com velocidade e mandou no centro do gol. Novamente, Aranha espalmou. No rebote, Edílson tentou abrir o placar pela diagonal, mas a bola bateu na rede apenas pelo lado de fora. Aos 34, Nino Paraíba lançou, buscando Sheik dentro da área, mas o zagueiro Thyere tocou errado na tentativa de cortar e abriu o placar a favor da Macaca.

Aos 45, o Grêmio ainda teve mais uma chance. Pedro Rocha recebeu na direita, cortou para dentro e chutou cruzado. A bola passou por Barrios e Ramiro, ofereceu perigo à Ponte Preta, mas saiu. A arbitragem deu mais dois minutos de acréscimos, mas não foi o suficiente para o Tricolor reverter o início com derrota.

Na volta para a segunda etapa, o técnico Renato Gaúcho promoveu a entrada de Fernandinho no lugar de Arthur. Aos 3 minutos, o Grêmio chegou com perigo na área da Macaca. O jogador invadiu a área buscando Lucas Barrios, mas Aranha apareceu para salvar o gol. Não demorou muito para a dupla voltar a aparecer. Após erro da Ponte na saída, o atacante tabelou com Pedro Rocha e finalizou. A bola ainda desviou em Naldo antes de acertar as redes e fazer a torcida soltar o grito de gol.

O próximo lance de perigo só veio aos 21 minutos, quando, em cobrança de falta, Edílson chutou uma bomba, que passou raspando no travessão da Ponte. O Grêmio voltou com todo o gás que ficou faltando no primeiro tempo. Luan tentou encontrar Fernandinho no contra-ataque, mas a bola bateu em Cortez e sobrou para Pedro Rocha marcar, mas a bola passou apenas perto do travessão aos 35 minutos.

Aos 31 minutos, Fernandinho sofreu falta dentro da área e o juiz marcou o pênalti para o Grêmio. Lucas Barrios foi para a cobrança e marcou 2 a 1 para o Grêmio. Ainda daria tempo da equipe marcar o terceiro. Dentro da área, aos 42 minutos, Everton recebeu lançamento de Ramiro e cabeceou para o fundo das redes do goleiro Aranha. A arbitragem aplicou mais três minutos, mas o resultado permaneceu igual.

Cruzeiro e Flamengo ficam no empate no Mineirão

De nada adiantou o tropeço do líder Corinthians no sábado, porque o Flamengo não conseguiu voltar a vencer e diminuir a distância para a ponta. Tudo bem que empatar fora de casa contra o Cruzeiro não é um resultado absurdo, mas ser o “rei do empate” em um campeonato de pontos corridos não é boa ideia. Com o placar de 1 a 1 neste domingo, pela 14ª rodada, o Fla empatou pela sexta vez no Brasileirão. Até por isso continua na quarta posição, só que mais longe do segundo colocado Grêmio. Everton chegou a abrir o placar para o Rubro-Negro, mas Sassá, relembrando os tempos de Botafogo, balançou as redes do Fla.

Sem torcida, sem gols: Vasco e Santos ficam no empate

A graça do futebol é a emoção do torcedor vibrando com cada lance de sua equipe nas arquibancadas. Na tarde deste domingo, porém, isto não foi possível observar na partida entre Vasco e Santos. Bastante ruim tecnicamente, as equipes sentiram o impacto de não ter tido nenhum torcedor no Nilton Santos. Os portões ficaram fechados por conta da segurança. E os jogadores parece que assim como os torcedores, não entraram em campo também.

Não criaram em 90 minutos sem graça. Resultado foi um empate em 0 a 0. Sem São Januário, interditado pelo STJD por conta das confusões no clássico do Vasco com o Flamengo na semana passada, Vasco e Santos tiveram o Nilton Santos como palco da partida deste domingo – quem escolheu o estádio foi a CBF. O fato de ter sido com portões fechados, sem a presença dos torcedores, parece que contaminou negativamente o espírito dos jogadores. 

São Paulo perde para a Chapecoense e se afunda no Z4

Confiança não tem cor de uniforme, número de camisa, tampouco calça chuteiras. Mas sua importância no futebol não pode ser medida. Talvez o seguinte raciocínio se aproxime de uma explicação possível: sem ela, um time está fadado ao fracasso. O São Paulo é exemplo cristalino disso. Sem nenhum sinal de confiança, a equipe do técnico Dorival Júnior perdeu por 2 a 0 para a Chapecoense neste domingo, na Arena Condá, e se complicou ainda mais na zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

O confronto era direto e a equipe de Chapecó abre seis pontos na briga. Drama de quem sofre um gol aos 17 minutos do segundo tempo, tem ao menos mais 30 para reagir, mas não chega nem perto. O time é bom? Não parece, ainda mais com tantas mudanças. Mas não é para tamanha fragilidade. Sobretudo porque a Chapecoense estava com seis desfalques, e também namora a parte de baixo da tabela. Haja falta de confiança. 

De virada, Galo vence seu xará

O Atlético-MG reencontrou o caminho da vitória nesse Brasileirão. Na tarde deste domingo, o Galo enfrentou o lanterna Atlético-GO em Goiânia e venceu o Dragão por 2 a 1, de virada, com gols de Fred e Elias; Igor fez para os mandantes. O jogo começou muito truncado, sem muitas chances criadas pelos times, com as equipes se estudando de longe e contando com as bolas paradas para levar perigo às defesas adversárias. E foi justamente em um lance de bola parada que saiu o primeiro gol da partida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

45 views