Mais de 1,8 mil armas apreendidas em MS serão destruídas pelo Exército

Armas que serão destruídas pelo Exército

Anny Malagolin

Em cumprimento à norma que dispõe sobre o encaminhamento periódico de armas de fogo, acessórios e munições apreendidas, sob a guarda do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul, ao Exército Brasileiro, o Tribunal de Justiça de MS, entregou, no ano de 2017, 1.883 armas, dentre espingardas, carabinas, rifles, revólveres, pistolas e garruchas, e, ainda, 20.730 itens de munições. Os dados estão no relatório de recolhimento e encaminhamento de armas de fogo, acessórios e munições, sob a tutela da Guarda do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul, destinadas a destruição, realizado durante o período de abril a novembro deste ano, com a ajuda do 9º Batalhão de Suprimento do Exército Brasileiro.

Os armamentos recolhidos são provenientes das Varas Criminais, da Infância e Juventude, da Justiça Militar, da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher e Juizados Especiais Criminais do Estado de Mato Grosso do Sul. Quando as armas e munições não mais interessam à persecução penal, o juiz autoriza a sua destruição, sendo em seguida informado à Assessoria Militar do TJMS, responsável pelo recolhimento do material.

“Nós recolhemos e entregamos os armamentos e munições para a 9ª Região Militar, onde uma unidade recebedora primeiramente amassa e quebra as armas, para que assim elas já fiquem inutilizadas e posteriormente os restos são encaminhados para um forno que derrete o material”, ressaltou o assessor militar do Tribunal de Justiça, Cel. Orti.

A ação é realizada entre o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, o Exército Brasileiro e o Governo do Estado por meio de um termo de cooperação. O recolhimento dos armamentos é realizado por uma unidade de recolhimento da Assessoria Militar do TJMS, juntamente com uma equipe de apoio do 19º Batalhão da Polícia Militar de Choque. (com informações do TJMS)

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

240 views