OLHO VIVO 27-09-17

Dércio Cruz

 

 

Virando piada 

Se não fosse uma situação trágica, seria engraçado demais. Em Itajaí-SC, veja a que ponto chega a audácia  dos ladrões. No mesmo dia, um posto de combustível foi assaltado duas vezes. Um assalto de manhã e outro no final da tarde. Além de não ser normal, outro detalhe que chamou atenção  é que, o posto assaltado fica bem em frente a Delegacia de Policia do município. Durma com um barulho desses.

Olha o golpe

Desgastados e desacreditados, os presidentes dos partidos políticos estão usando uma artimanha que, em anos anteriores não se via. Colocando as esposas para falar nos espaços políticos,  usando e abusando do lado sentimental e humanitário das pessoas, principalmente das donas de casa. Bem treinadas, chegam a serem dramáticas principalmente quando se referem aos filhos. Uma pena que, na pratica mesmo nem de longe pensam nisso. O povão,  inclusive as mulheres andam calejadas com tanto oba-oba. 

Buscando solução

Estou sabendo de fonte que merece credibilidade que, preocupado com o caos que vem se transformando o trânsito em Ponta Porã, o chefe do Executivo já estaria mantendo contanto com especialistas no setor, com o objetivo de encontrar uma saída que, se não resolver por inteiro pode amenizar e muito o sufoco causado, principalmente em ocasiões especiais, quando a região da fronteira recebe um número maior de turistas. E para que isso aconteça, mudanças consideráveis serão feitas.

Por falar

Em trânsito complicado, crescem as expectativas com relação a conclusão do mini anel viário que deve contribuir e muito, para amenizar o conturbado trânsito em Ponta Porã. Até hoje não se sabe ao certo o porquê da administração passada, ter mudado o trajeto do mini anel. Por conta disso, a obra que vinha em ritmo moderado acabou parando de vez. A atual administração tem afirmado que a conclusão de obra está a caminho, mas depende do governo estadual que já prometeu destinar recursos, mas pelo jeito a coisa está de rosca.

Fique de olho

 A prefeitura de Ponta Porã promete jogar pesado na fiscalização de veículos carros e motos que transitam pelas ruas da cidade sem a documentação exigida por lei e ainda pela falta de equipamentos, que colocam em risco a vida dos condutores e de terceiros. Esse filme eu já vi em outras ocasiões, mas pelo que me disseram agora a coisa é pra valer. Sendo assim é bom principalmente os condutores das chamadas motinhas do Paraguai se precaverem.

Por falar I

Em veículos irregulares que transitam pelas ruas de Ponta Porã é no mínimo chover no molhado. Sem querer exagerar mas, todos sabemos que pelo menos 70 por cento das chamadas motinhas do Paraguai, transitam de forma irregular, prova disso é a quantidade delas apreendidas e que estão há muitos anos amontoadas no pátio do Detran local e de outros pátios alugados para esse fim. O pior que ninguém sabe um destino pra dar a essas motos. Pelo fato de serem oriundas de outro pais, não possuem documentação brasileira. Os proprietários não se interessam em resgata-las até porque, os valores das multas superam os valores de outras em melhores condições no Paraguai.

Por falar II

Tudo isso sem contar ainda a quantidade de acidentes registrados envolvendo esse tipo de veículo e quantos são registrados diariamente tanto que, no setor de ortopedia do Hospital Regional é muito mais fácil encontrar uma agulha no palheiro do que leito vazio, onde 98 por cento dos pacientes são vítimas de acidentes envolvendo essas motinhas. A grande maioria alega que usam as motos para trabalhar, como se esse fato isentasse do veículo estar em condições de transitar. Se a fiscalização for realmente rigorosa, a prefeitura pode providenciar um forno gusa para dar um fim nesses veículos, ou então continuar alugando terrenos e mais terrenos para servirem de depósitos.     

Reclamar pra quem 

Se precisar de uma internet ruim demais da conta, a de Ponta Porã não serve. Passa de ruim. O pior é que, não tem pra quem reclamar. Se você liga para a operadora, com certeza vai ouvir aquelas velhas ladainhas. Tecle 2 pra isso, tecle 3 pra aquilo e nada se resolve. Sem contar ainda que cobram o que querem e serviço que é bom, nada. Quem sabe nossos vereadores não aceitem o desafio de tentar solucionar esse problema, que diga-se de passagem não vem de hoje. Sem contar ainda que a interferência do sinal das operadoras do Paraguai, piora ainda mais o sistema de telefonia.

Mudando de lado

No mês que vem, encerra-se o prazo para quem estiver disposto a enfrentar as urnas em 2018, mudar de partido. Algumas costuras estão em andamento. Por aqui, pelo jeito teremos poucas mudanças. Três, no máximo quatro nomes estão de olho numa cadeira no legislativo estadual, mas sabem que tudo vai depender da posição do atual deputado Flavio Kayatt que tem deixado claro que não pretende mais participar do pleito. Pela base política solida que mantém em Ponta Porã, todos sabem que, com ele na disputa a eleição é uma, e sem ele o quadro muda.

Sim ou não

Nos próximos dias os deputados vão decidir se autorizam ou não o STF – Supremo Tribunal Federal investigar as denúncias contra o presidente Michel Temer. Pelo que se percebe e pelas declarações de muitos parlamentares, essa segunda votação deve passar como quiabo em boca de velho. Aliás essa votação nos faz lembrar os tempos do Gen. Stroessner no Paraguai. Era sim pra ficar e não, pra não sair.

 Se destacando

 Estou sabendo de uma pesquisa feita na cidade com o objetivo de avaliar o desempenho dos vereadores nesse primeiro ano de mandato. Estou sabendo também que o mais lembrado pela comunidade, foi o vereador Rony Lino que por sinal, talvez seja o único que não usa a tribuna da Câmara, mas que nos bastidores consegue resolver e atender as reivindicações que recebe da população. A atuação do Rony me faz lembrar um vereador dos anos 90, que entrava mudo e saia calado das sessões, mas que tinha um acesso muito próximo ao prefeito Carlos Froes que não deixava de atender um só pedido seu. O nome dele nem aparecia nas pesquisas, mas os votos apareciam garantindo-lhe sempre um novo mandato.

Lembrança

Dias desses meu amigo o gremista Erli Eberle me presenteou com um exemplar da revista Executivo Especial editada em Março de 1991 que destacava três reportagens importante de MS. Uma falando da retomada do desenvolvimento através do agronegócio, escrita pelo ex-secretário de Agricultura do estado, Jose Américo Flores do Amaral, outra pelo ex- governador Pedro Pedrossian e outra pelo ex-secretário de Industria e Comércio Aldayr Heberle. Além do excelente conteúdo das matérias outro fato que me chamou atenção. Coincidentemente os três já partiram para o andar de cima. Jose Américo morreu em 2001 em um acidente com o avião da TAM no aeroporto de Congonhas em São Paulo quando voltava do Rio Grande do Sul. O ex governador Pedro Pedrossian morreu em casa no dia 22 do mês passado e Aldayr Heberle morreu no dia 14 de agosto em um acidente próximo a cidade de Gravataí-RS depois de passar o dia dos pais em companhia de filhos e neto. Assim é a vida.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

269 views