OLHO VIVO 28-10-16

OLHO VIVO – 28-10-16Dércio Cruz

 

 

 

 

 

De olho na equipe

Depois de dar um giro pela capital federal ajeitando detalhes para obtenção de recursos, o prefeito eleito Hélio Peluffo Filho volta agora suas atenções, para a formação de sua equipe que, a partir de 01 de janeiro assume o comando do município.  Embora nenhum nome tenha sido divulgado, sabe-se de antemão que, alguns ja estariam definidos, como por exemplo, o do atual presidente da Câmara, vereador Daniel Valdez o Puka, que desistiu de tentar a reeleição pelo PMDB, para apoiar o candidato tucano. Outro nome dado como certo é da ex- vereadora Dulce Manosso.

Abrindo espaço

Em meio aos comentários, fala-se também no aproveitamento de pelo menos um vereador eleito para ocupar uma pasta, abrindo assim uma vaga na Câmara para o suplente do PSDB, Aleixo Alves. Segundo um assessor do prefeito eleito, a correria pelos demais cargos já começou. Segundo se comenta, a lista é extensa.

Começando bem

Diz o ditado que, vassoura nova que varre bem. E é verdade. Quem vem se mexendo bastante na busca de alternativas para o combate a criminalidade é o vereador do PMDB e segundo mais votado, Farid Afif. O filho do Badú tem se virado como pode. Já mobilizou a população dos bairros, de se criar grupos através das redes sociais, no sentido de auxiliar os segmentos de segurança oferecendo denúncias quando suspeitarem de alguma coisa diferente. Pode funcionar sim, mas para isso se faz necessário, que o governo do Estado, viabilize recursos para que os policiais possam correr atrás da malandragem. Enfrentar com canivetes, bandidos armados com pistolas e fuzis, é botar a cabeça dos policiais a prêmio.

Outra questão

Que vem sendo questionada pelo novo vereador e essa também é importante, diz respeito a instalação de uma sede do Departamento de Operações de Fronteira –DOF em Ponta Porã.  Me lembro que, desde a criação do extinto GOF- Grupo de Operações de Fronteira ainda sob o comando do hoje Cel. aposentado, Adib Massad, já havia uma manifestação sobre o assunto que nunca saiu do papel.

Em 2003 por ai, a ideia parecia que ia fluir, mas na época, as autoridades conseguiram uma sala anexa ao segundo Distrito Policial que, não dispunha nem de cama para os policiais, que decidiram voltar para Dourados. Ao invés de se gastar dinheiro com a Força Nacional que representa pouco em termos de segurança para a fronteira, esses recursos poderiam ser investidos na implantação de uma sede para o DOF, que é considerada como uma das policias mais eficientes no combate a criminalidade

Linha aérea

Muito se fala e isso também vem de longas datas, a implantação de uma linha aérea regular saindo de Ponta Porã. Com um aeroporto que tem uma estrutura Internacional que praticamente não serve pra nada e que há pouco tempo, recebeu investimentos de mais de 15 milhões de reais, por si só, justificaria uma linha regular. O problema pelo jeito, não é tão fácil de solucionar já que, a construção do aeroporto deixam dúvidas com relação a sua legalidade ou não, perante as empresas aéreas, uma vez que pela sua localização, decolando ou aterrizando as aeronaves invadem o território aéreo do Paraguai. Segundo se comenta, nenhuma seguradora estaria disposta a investir dinheiro com relação aos seguros,tanto dos aviões, como de passageiros. É um caso complicado.

Ganhando corpo

A movimentação nas redes sociais com o objetivo  de reduzir salários de prefeitos, vice-prefeitos, secretários e vereadores, bem como exigir a redução no número de parlamentares, começa a ganhar contornos que pode resultar em um ato prático. Em algumas cidades principalmente no Paraná, a pressão popular foi tanta que, os próprios vereadores aprovaram projetos nesse sentido. Em Campo Grande, um vereador que não disputou a reeleição, deve apresentar um projeto reduzido de 29 para 23 o número de vereadores. A principio, o projeto deve ser rejeitado, mas a população se mobiliza no sentindo de pressionar os vereadores  para aprovarem o projeto. Vai que a moda pega.

Correndo atrás

Apesar de que, normalmente as pesquisas acertam mais que erram, o governador Reinaldo Azambuja ainda acredita que pode reverter a vantagem do candidato Marquinhos Trad sobre sua candidata, a tucana Rose Modesto. Embora a capital seja um termômetro politico, o governador pode se considerar como positivo o resultado das eleições em 02 de outubro, pois seus candidatos venceram nos principais municípios, como Três Lagoas, Corumbá e Ponta Porã. Em Dourados a vitória de Delia Razuk não chega a ser desastrosa ja que, a relação politica entre o governador e a nova prefeita é cordial. O desafio maior de Azambuja é vencer na capital e liquidar o grupo Trad, e o atual prefeito Alcides Bernal.

Pulando do barco

Após o resultado desastroso das eleições quando obteve uma votação abaixo da critica, o atual prefeito começou a dispensar alguns aspones, o que já era esperado. O que chama atenção, é o fato de que, alguns barnabés que foram rifados e que antes defendia com unhas e dentes o chefe do Executivo, são os primeiros a criticarem o atual prefeito pelas ruas da cidade. Nada como o poder.

Expectativa

Passada a onda das eleições, a expectativa dos eleitores se voltam agora, para a renovação mesmo que parcial no legislativo. Dos quinze atuais, quatro não disputaram o pleito – o vereador Osmar de Mattos, a vereadora Maria Leny que deve ocupar uma secretaria, o atual presidente da câmara Daniel Valdez, e o vereador Caio Augusto que agora e vice-prefeito.  Além desses, o vereador Cezar Matoso teve sua candidatura indeferida e também ficou de fora. Dos atuais, apenas três não conseguiram se reelegerem. Professor Hugo, Biro- Biro e Bruno I. Outro destaque foi a eleição de duas mulheres, a professora Anny Spindola e a empresária Neli. La da capital meu amigo,  o corintiano Keko tá botando a maior fé nos novos vereadores, desde que acabem com o famoso jetonzinho de dois mil mensal. Vai vendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

476 views