Prefeito mineiro cancela queima de fogos no réveillon para proteger os animais

O prefeito publicou nas redes sociais uma foto com seu animal de estimação, após o comunicado (Foto: Arquivo Pessoal)

O prefeito da cidade de Alfenas no sul de Minas Gerais anunciou, na sexta-feira, o cancelamento da tradicional queima de fogos no réveillon. A medida foi anunciada em atendimento a um pedido de ONGs protetoras dos animais, uma vez que os fogos podem trazer danos aos bichinhos.

O anúncio sobre o cancelamento dos fogos de artifícios na Praça Getúlio Vargas foi feito no facebook e rapidamente ganhou repercussão, chamando a atenção da grande mídia – foram publicadas reportagens na versão online da Folha de S. Paulo e do Estado de Minas. Nas redes sociais, a postagem rapidamente se espalhou. Foram mais de 14 mil compartilhamentos.

A prefeitura já havia reservado R$ 50 mil no orçamento para gastos com fogos de artifício na virada do ano. Mas a licitação acabou não sendo realizada e o dinheiro será destinado para outra finalidade. “Já estávamos caminhando para não fazer. Foi uma evolução da percepção da gente. Fizemos muitas audiências públicas sobre os problemas dos animais este ano e percebemos que o barulho de fato prejudica os animais”, disse o prefeito Luiz Antônio da Silva. Em agosto, uma audiência pública foi realizada pela Câmara Municipal para discutir as questões relacionadas aos animais, inclusive sobre cães abandonados no centro que estariam atacando pedestres. Na ocasião, o prefeito anunciou um fundo municipal de R$ 300 mil, para 2018, para política voltada para os animais.  

Outras cidades

Alfenas não é a única a adotar esse tipo de medida. Em Três Pontas, a Prefeitura também anunciou que não haverá queima de fogos “em respeito aos idosos, enfermos e animais”. Já a prefeitura de Poços de Caldas informou que terá o réveillon com fogos de artifício silenciosos. “O show pirotécnico promovido pela Secretaria Municipal de Turismo segue lei que determina que todos os eventos realizados pela Prefeitura utilizem somente fogos sem barulho”, informou a Prefeitura de Poços de Caldas em comunicado. Ubatuba, no litoral paulista, Campos do Jordão (SP) e Sorocaba (SP) também adotarão medidas para minimizar o sofrimento dos animais com os fogos de artifício. Nessas duas últimas cidades foram sancionadas leis regulamentando o tema.

No Congresso Nacional

O site do Senado abriu consulta pública sobre a necessidade de uma legislação que estabeleça a restrição a nível nacional, também em defesa dos bichinhos. Além da sugestão popular, um projeto de lei neste sentido tramita na Câmara dos Deputados. Como a audição muito mais sensível que a dos humanos, os animais sofrem com barulhos extremos. Coração acelerado, salivação excessiva e tremores são indicativos de que algo não está bem. Em pânico, os bichinhos podem ter reações inesperadas e se machucar. No caso de animais doentes, o quadro de saúde pode se agravar e podem ocorrer mortes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

171 views