Projeto “Histórias e Músicas da Fronteira” é sucesso em Ponta Porã

Rodrigo Teixeira e Dino Rocha durante show n UFMS-Ponta Porã (Foto – Divulgação)

O Projeto Histórias e Músicas da Fronteira patrocinado pelo Fundo de Investimentos Culturais em parceria com a UFMS-Ponta Porã e apoio da Prefeitura Municipal por meio da Fundação de Cultura e Esporte (FUNCESPP) atraiu centenas de pessoas no anfiteatro da instituição acadêmica na terça-feira (19) à noite. O projeto foi um mergulho no universo que já se tornou uma característica da população do Estado. Para tratar da música fronteiriça sul-mato-grossense o projeto contou com o acordeonista Dino Rocha e o escritor Rodrigo Teixeira.

A abertura ficou por conta do jornalista Rodrigo Teixeira, autor dos livros “Os Pioneiros – A Origem da Música Sertaneja de MS” e “Prata da Casa – Um Marco da Cultura Sul-mato-grossense”, que retratou sobre os artistas que têm ligação com a música fronteiriça, desde os pioneiros Délio e Delinha, Zé Corrêa e Amambai e Amambaí até os modernistas Almir Sater, Paulo Simões e Geraldo Espíndola. “Tivemos uma excelente recepção em Ponta Porã. A fronteira tem muita história ligada a formação de nossa gente e do desenvolvimento da nossa música. Dino Rocha é um ícone que possui uma obra fundamental na construção da identidade do nosso estado” disse Rodrigo Teixeira.

Para Eder Rubens, o projeto cultural é fundamental para impulsionar o processo de divulgação e preservação de nossa memória, valorizando aqueles que ajudam a construir a identidade cultural através de excelentes obras artísticas. “A atual administração vem buscando apoiar parcerias que possibilitem alcançar toda população com eventos que colabore para formação sócio-cultural, respeitando a nossa história alinhado com o desenvolvimento”. Após a palestra o público presente, formado por acadêmicos da UFMS, UEMS e FAP, além de entusiastas da boa música, pode conferir de perto o show de Dino Rocha, um dos ícones da música fronteiriça de Mato Grosso do Sul e considerado o Rei do Chamamé.

Natural de Juti- (MS), criado em Ponta Porã  o instrumentista de 65 anos figura entre os principais acordeonistas do Brasil da atualidade.  “É uma honra se apresentar em Ponta Porã, onde morei por um bom período da minha vida e fiz grandes amigos. Mato Grosso do Sul tem uma rica história na música, temos que valorizar” frisou Dino Rocha. Com dezenas de LPs gravados e centenas de shows realizados em todo o país, Dino Rocha relembrou os principais sucessos de sua carreira, como “Gaivota Pantaneira”, seu primeiro hit lançado em 1973, e interpretar clássicos fronteiriços, como “Mercedita” e “KM 11”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

191 views